Vai começar a brincadeira


O universo lúdico conspira a favor do conhecimento e ainda proporciona diversão para a criançada


Por Juliana Lambert

Objetivos:
Facilitar a aprendizagem e o desenvolvimento da criança nos aspectos físico, cognitivo, motor e social
Promover a sociabilização e a integração dos alunos
Valorizar a importância de compartilhar, o respeito ao direito do outro e o cumprimento das normas estabelecidas pelo grupo

Faixa etária: 4 a 6 anos



Brincar é assunto sério
e pode ser decisivo para o desenvolvimento integral do aluno. “O ato de brincar é tão importante para a criança quanto trabalhar é para o adulto. É o que a torna ativa, criativa e lhe dá oportunidade de relacionar-se com os outros. A brincadeira também a faz feliz e mais propensa a ser solidária e a amar ao próximo”, explica a pedagoga Sandra Sieben, de Porto Alegre (RS). Para Mônica Lopes Ferreira, professora de Educação Física do Colégio Vértice, de São Paulo (SP), as atividades lúdicas ajudam na construção do conhecimento e estimulam o aprendizado. “Por meio de jogos e brincadeiras, facilitamos o desenvolvimento da criança nos aspectos físico, cognitivo, motor e social”, conta a professora, para quem as atividades em grupo, jogos de imitação e brincadeiras por meio de exploração são ideais para os alunos da Educação Infantil. De acordo com Rafaela da Costa Gomes, pedagoga e professora da Educação Infantil do Colégio Santa Emília, em Olinda (PE), ao usar a brincadeira de forma planejada, relacionando a atividade lúdica com os objetivos pedagógicos e respeitando os limites de cada criança, o educador tem em mãos um importante instrumento de trabalho. “Contudo, esbarramos em pontos cruciais que desencadeiam alguns ‘vícios’ da profissão, como o comodismo em sala de aula, a falta de flexibilidade curricular e a pouca vontade de mudar. Mas essa é outra história e pode estragar a nossa ‘brincadeira’", diz Rafaela. Aproveite o mês das crianças para introduzir divertidas brincadeiras no dia a dia dos pequenos!


Dica de leitura!
Brincadeiras de Todos os Tempos

O vovô navegando na internet e a vovó jogando no computador? Soldadinho de chumbo, pião, bilboquê. Nesse livro, unem-se brincadeiras antigas e modernas num harmônico convívio.
Autor: Anna Claudia Ramos
Editora: Larousse
Onde encontrar: www.larousse.com.br
Preço: R$ 26,90

 

 

As atividades a seguir foram sugeridas pela pedagoga Sandra Sieben:

Pé de lata

Materiais:
2 latas de achocolatado
Corda de náilon
Martelo
Prego pequeno
E.V.A. preto
Cola e tesoura
Pincel
Tinta acrílica verde e preta



1.
Pinte as latas de verde e as tampas de preto. Corte o E.V.A., copiando os moldes dos pés.
2. Cole o pé de E.V.A. no fundo da lata.
3. Com auxílio do martelo e do prego, faça dois furos diametralmente opostos no fundo de cada uma das latas.

 

Você sabia?
Andar de um lado para o outro com os pés de lata ajuda a desenvolver a coordenação motora e o equilíbrio.

 

 

 

Vamos fazer uma peteca?

Materiais:
2 folhas de jornal
Fita ou barbante
Tesoura
TNT verde-escuro, amarelo, rosa, azul escuro e verde-claro



1.
Amasse as folhas de jornal, formando uma bola. Embale-a com um pedaço de TNT.
2.
Coloque os outros TNT, um por vez.
3.
Amarre bem forte com a fita. Apare as pontas.

 

Dica esperta!
Para o nó não soltar, passe cola quente nele.

 

Dado gigante

Materiais:
E.V.A. grosso nas cores azul, amarelo, vermelho, rosa, verde e preto
E.V.A. fino nas cores amarelo, vermelho, azul, lilás ou rosa, verde e preto
Estilete ou tesoura
Cola para E.V.A. ou cola quente
Régua e lápis preto



1.
Corte os E.V.A. grossos na medida de 30 x 30 cm, seguindo o molde.
2.
Siga o molde para encaixar cada parte na outra.
3.
Corte os quadrados menores, sendo seis amarelos, cinco azuis, quatro vermelhos, três pretos, dois lilases e um verde, na medida de 7 cm de lado, usando o E.V.A. fino. Cole os quadrados menores nos quadrados grandes.



Confira as atividades sugeridas pela educadora Mônica Lopes Ferreira e inspire-se!

Você sabia?
A brincadeira de estátua ajuda a desenvolver a coordenação motora ampla, o ritmo, a noção espaço temporal, além de trabalhar conhecimento e consciência corporal, envolvendo dramatização e mímica.

 

Dança maluca



1.
Escolha uma música animada e incentive a turma a dançar.
2. Quando a música parar, as crianças deverão ficar como estátuas. Escolha a cada rodada as estátuas mais engraçadas, animadas, assustadoras etc.
3.
A estátua campeã deverá ser imitada por todas as crianças.


 

 

Caça à bolinha


Divida as crianças em duplas e providencie uma caixa de sapato com diversos objetos. Entregue uma bolinha de gude para uma das crianças e peça para que esta fique a 2 metros de distância da caixa. Ela deverá lançar a bolinha na caixa para que sua dupla a encontre em meio aos demais objetos. Determine um tempo para que o aluno possa caçar a bolinha. Vence quem encontrar primeiro! Inverta os papéis para que todos possam jogar e caçar. O objetivo do Caça à bolinha é proporcionar o reconhecimento e a identificação dos objetos, noção espacial, coordenação motora, direção e também desenvolver a contagem.

 

Arco-íris

Materiais:
Giz colorido ou tiras de papel crepom coloridas
Caixa de papelão
Brinquedos, objetos ou bexigas que correspondam às cores do arco-íris (vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil (ou índigo) e violeta.


1. Desenhe um arco-íris com tiras de papel crepom ou giz sobre o chão, seguindo a sequência de cores (vermelho, laranja, amarelo, verde, azul anil e violeta).
2. Decore uma caixa de papelão para que seja posicionada ao final do arco-íris, como se fosse um baú de surpresas.
3. Coloque dentro da caixa objetos que representem as cores do arcoíris: brinquedos, canetas, fantasias, chapéus e outros itens.
4. Forme filas paralelas, de maneira que cada grupo represente uma cor diferente do arco-íris e fique atrás das linhas marcadas no chão.
5. Dê um sinal para iniciar a brincadeira e para que os alunos possam, um a um, percorrer as cores até chegar ao baú e retornar com um objeto da cor da sua equipe. A próxima criança só poderá sair quando o seu companheiro ultrapassar a linha de chegada.
6. Vence a equipe que completar primeiro o trajeto, respeitando as regras e a cor correspondente à sua equipe.


Acompanhe sugestões divertidas e sustentáveis da professora Rafaela da Costa Gomes:

Patinação artística

Materiais:
Caixa de sapato
Estilete ou tesoura
Cola quente
Tinta acrílica preta e laranja
Pincel
Color set laranja
Tesoura e furador
1 par de cadarço preto
Rolo de papel alumínio cortado em 16 tiras, pintadas de laranja
4 tampinhas de garrafa PET encapadas com papel alumínio
Pedaço de papel alumínio
Pedaço de papelão

1. Corte a caixa de sapato conforme o molde. Emende um pedaço de papelão na frente da caixa e cole-a como mostra a foto, imitando a lingueta de um tênis.
2. Pinte a caixa com a tinta preta. Depois de montado o falso patim, cole na parte da frente o color set e fure a caixa com ajuda de um lápis ou pincel para passar o cadarço, seguindo o molde.
3. Passe o cadarço conforme a foto. Corte e pinte com a tinta laranja o rolo de papel alumínio e cole na caixa imitando as rodinhas dos patins.
4. Cole uma alça de color set na parte de cima dos patins e as tampinhas encapadas com papel alumínio.

 

Como brincar
Distribua as crianças em duas equipes, formando duas filas. Cada aluno deverá calçar o seu par de patins (caixas de sapato decoradas). Um a um, terão que “patinar” até uma cadeira que estará do outro lado e contorná-la, para só depois retornar para o final da fila. Vence a equipe que concluir o percurso primeiro.

 

Você sabia?
Ao simular a patinação, a criança desenvolve o equilíbrio, noção espacial, criatividade, direção, força, consciência corporal e coordenação motora ampla.

 

 

 


Jogo da coleta seletiva
“A criança que aprende desde cedo sobre a necessidade separar o lixo nos locais adequados, terá grandes chances de tornar-se um adulto mais consciente do seu papel social e importante aliado na luta a favor da preservação do meio ambiente”, diz Rafaela da Costa Gomes.

Você sabia?
A brincadeira ajuda a conscientizar os alunos sobre a importância de fazer a coleta seletiva e a aprender desde cedo a separar os materiais pelas cores. Além disso, trabalha a percepção visual, a oralidade e a coordenação motora fina e ampla.

 

 

Coleta seletiva

Materiais:
Caixas de papelão
Tesouras sem ponta
Tintas nas cores vermelha, amarela, verde e azul
Pincéis
Caneta piloto preta

1. Distribua uma caixa de papelão, pincéis, tesoura e um pote de tinta para cada grupo pintar as caixas em uma só cor.
2. Após secar, escreva na caixa o nome do material correspondente a cada cor: azul (papel), verde (vidro), vermelho (plástico) e amarelo (metal).
3. Enquanto as caixas secam, peça para a turma buscar pela escola materiais diversos que poderão ser descartados nas caixas. Exemplos: embalagens vazias de biscoito, latas de refrigerante etc.
4. Organize as caixas em um espaço da escola e peça que depositem os materiais encontrados de acordo com as cores correspondentes.

 

Confira ainda uma atividade proposta pela arte-educadora Simone Faure Bellini:

Pote para guloseimas ou porta-treco

Materiais:
2 latas de molho de tomate com tampa
Tinta acrílica brilhante rosa e azul
Olhos móveis
Lã pintada de
rosa-escuro
Pedaço pequeno de E.V.A. azul para a aba do boné
Pedaço pequeno de TNT azul para o boné
Pedaço pequeno de color set vermelho para a boca
Fitas rosa e azul
Pincel e cola quente

1. Menino. Pinte as latas nas cores rosa e azul. Dê três demãos em cada uma.
2. Para o boné, faça uma trouxinha de TNT azul e cole-a sobre a tampa da lata.
3. Cole a lã preta na beirada da tampa, para imitar o cabelo.
4. Monte o boné com E.V.A. conforme o molde e cole sobre o TNT.

5. Cole os olhos, a boca e a fita na lata. Encaixe a tampa.

1. Menina. Pinte a lata de rosa e cole uma trouxa de TNT rosa na tampa.
2. Cole a lã tingida na tampa da lata.
3. Decore a lata com os olhos, a boca e a fita.

 


Mapa do Brincar

Em 2009, a Folhinha (suplemento infantil do jornal Folha de S.Paulo) lançou um projeto que é pura diversão: convidou crianças de todo o Brasil a contar quais são suas brincadeiras preferidas. O conjunto de relatos infantis rendeu 550 brincadeiras para o site http://www1.folha.uol.com.br/folha/treinamento/mapadobrincar. Você poderá pesquisar brincadeiras por região e por categoria, fazer downloads e ter acesso a um glossário. Sabia que a amarelinha também é conhecida por academia? E em João Pessoa (PB) a queimada é chamada de baleado?