Guia Prático

Reportagens

Envie para um amigo Imprimir

Jogo de fechamento


As crianças exploram as movimentações aprendidas durante o ano


Ana Mello*

Objetivos:
Coordenação motora global
Equilíbrio
Coordenação segmentar
Motricidade fina
Tônus
Percepção espacial e temporal.

Nesta edição, trazemos uma brincadeira de fechamento divertida, que pode se desmembrar em diversas outras possibilidades. Todo movimento internalizado pelas crianças durante o ano será aplicado aqui, mas de forma livre e criativa.

Materiais:
★ Barbantes (coloridos ou não)

Barbantes divertidos
Prepare o material: corte vários pedaços de barbante em tamanhos diferentes e dê um nó nas pontas para fechá-los. Depois, faça algumas solicitações para as crianças. Veja a sequência:

1. Coloque oito barbantes no chão, em círculos, formando uma fileira: o primeiro é o círculo maior, o próximo é um pouco menor e assim por diante. O último (oitavo) deve ser o círculo menor de todos.
2. Explique a regra: um a um, todos terão de andar na fileira de barbantes, pisando dentro dos círculos. No 1º barbante, pode-se pisar com os dois pés, depois, conforme o espaço disponível em cada círculo, as crianças terão de refletir sobre como continuarão pisando (mudar para só um pé, pisar apenas com o calcanhar etc.). Nos últimos dois círculos, que são bem pequenos, elas terão de pisar ou com o calcanhar, ou com a ponta dos pés. Depois que todos tiverem participado, pode-se repetir a regra, mudando a parte do corpo. Observe se eles entenderam o jogo e colocaram primeiro as duas mãos, depois só uma etc.
3. Agora você monta com os barbantes figuras geométricas: um quadrado, um retângulo e um triângulo. As crianças contornarão as figuras, andando sobre suas linhas. Pergunte: sobre quantas linhas vocês andaram no quadrado? São linhas retas ou têm curvas? O triângulo em pontas? E quantas linhas? E o retângulo? As linhas têm todas os mesmos tamanhos? Andem nas maiores, depois nas menores.
4. Em um terceiro momento, distribua barbantes soltos para as crianças e peça para que cada uma delas faça um desenho no chão (a partir dos 3 anos e meio a criança já consegue formar uma figura a seu modo). Este é um momento de exploração do material, em que a professora deve interferir pouco, mas mantendo-se próxima aos alunos, especialmente para que os menores não levem o barbante à boca, nem tentem mastigá-lo. Esta parte é recomendada aos maiores de 4 anos.
5. Por último, pode-se ir ao papel com duas propostas. Para os menores (3 e 4 anos), mostre algumas folhas de papel com barbantes diferentes colados e peça para que eles passem o dedo, percorrendo o contorno dos desenhos. Eles podem fazer isso com uma das mãos (dedo a dedo) e depois com a outra. Para os maiores (5 e 6 anos), dê uma folha para que eles colem o barbante, compondo um desenho.

"Aqui, observamos um pouco de cada conduta, iniciando como sempre com o corpo (parte 1, 2 e 3) e, por fim, no papel (parte 4). São trabalhadas, assim, a coordenação motora global e depois a motricidade fina. Começamos estimulando as crianças a explorar seu esquema corporal, buscando estratégias para respeitar a regra de andar dentro dos círculos. Mesmo que de forma indireta, elas percebem a sucessão temporal, do círculo maior para o menor - ou do mais fácil para o mais difícil, espacialmente falando. Pode-se dividir a atividade em mais de uma aula e criar outras solicitações com o barbante."

 

*Ana Melo é professora de Educação Física, pós-graduada em Psicomotricidade e consultora na área para escolas e institutos de educação. Contato: amgm22@terra.com.br

 

News do Professor

Receba sempre em primeira mão nossas novidades e conteúdo exclusivo.