Guia Prático

Comportamento

Envie para um amigo Imprimir

Vivam as Diferenças


O respeito e a valorização da diversidade ocorrem naturalmente quando as crianças têm bons exemplos em casa e na sala de aula


Mariana de Viveiro

Objetivos:
Aprender a conviver com as diferenças
Evitar o bullying no futuro

Conhecer outras culturas

 

Brancos, negros, orientais; de cabelos lisos e enrolados, loiros e morenos; altos e baixos; magros e gordinhos. Provavelmente em sua sala de aula há alunos com todas essas características. Essa diversidade é importante, pois é convivendo com ela desde bem cedo que as crianças aprendem a respeitá-la. Para Birgit Möbus, fonoaudióloga, psicopedagoga e coordenadora do Programa de Educação para a Saúde Psicossocial da Escola Suíço-Brasileira, em São Paulo, as crianças precisam vivenciar a diversidade e se colocar no lugar do outro (veja algumas atividades propostas por ela a seguir). A psicóloga e psicopedagoga Ilana Donato, orientadora educacional do Colégio Objetivo da Baixada Santista (Unidade Embaré) concorda com ela. Ilana explica que as crianças pequenas copiam o comportamento dos adultos, por isso é importante fazer palestra com os pais para que eles reflitam sobre suas atitudes - já que não adianta trabalhar a valorização das diferenças na escola se a família for preconceituosa - e investir na formação dos professores. "Não dá para ensinar as crianças da Educação Infantil com discurso, elas aprendem conforme forem vivenciando situações", diz. Outro ponto em que há consenso é que as crianças não têm maldade. "A criança percebe que ela é diferente, mas essa percepção é natural. Ninguém precisa dizer isso a ela", afirma Birgit.

Dicas de livros:
As tranças de Bintou

De Sylviane A. Diouf (Editora Cosac Naify)
Um Mundo de Crianças
De Caio Vilela e Ana Busch (Editora Panda Books)

 

Shutterstock

Autorretrato
Recorte em uma folha A4 a figura de uma criança (só o contorno). Entregue uma para cada aluno e peça para se desenharem (cabelos, olhos, nariz, boca, pés, mãos etc.). Depois, exponha na sala todos os bonequinhos.

 

Poesia
Renata Gabriel Amatto, professora de Educação Infantil na EMEI Ruth Luz Paiva Cilurzo e na Escola Pestalozzi, em Franca, SP, costuma trabalhar com a poesia "Pessoas são Diferentes", de Ruth Rocha. Ela lê a poesia várias vezes aos alunos e depois trabalha o texto de forma fragmentada. Por exemplo, na estrofe que diz: "São duas crianças lindas, mas são muito diferentes! Uma é toda desdentada, a outra é cheia de dentes", as crianças confeccionaram duas bocas de papel-cartão - uma cheia de dentes e outra banguela.

 

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>

News do Professor

Receba sempre em primeira mão nossas novidades e conteúdo exclusivo.