Guia Prático

Reportagens

Envie para um amigo Imprimir
Alfabetização

Meu nome é...


Confira atividades para trabalhar a leitura e a escrita de nomes próprios no início da alfabetização infantil


Por Priscila de Giovani

Objetivos:
Refletir sobre os diferentes aspectos do sistema alfabético


Realizar atividades com nomes próprios no início da alfabetização é uma boa estratégia para que as crianças comecem a refletir e conhecer sobre o funcionamento do sistema alfabético. Segundo Ferreiro e Teberosky, no livro Psicogênese da Língua Escrita, o nome próprio torna-se a primeira escrita estável dotada de significação à criança, devido à identidade promovida ao aluno com o uso do seu nome e sua relevância cultural, pois faz parte da sociedade e marca seu território, sendo fonte de satisfação. Ao elaborar boas atividades de leitura e escrita do próprio nome e dos amigos, na fase inicial da alfabetização, a criança é levada a refletir sobre diferentes aspectos do sistema alfabético, como por exemplo:

As diferenças entre as letras dos outros sinais gráficos;
A orientação esquerda-direita da escrita;
A estabilidade dos nomes em relação à quantidade de letras;
A escrita como significado cultural, já que identifica indivíduos e objetos;
A ampliação do repertório de letras;
A possibilidadede de perceber que nomes diferentes se escrevem formas distintas;
A variedade e posição das letras para se escrever um nome.

Dica de leitura!

Rosita Maria Antonia Martins da Silva
Você gosta do seu nome? Rosita não gostava do dela porque era muito comprido. A menina começa então a pensar nos nomes que queria ter ligados a cada atividade que ela gostaria de fazer quando crescesse.

Autora e ilustradora: Ana Terra
Assunto: vida em sociedade
Preço: R$ 23,90
Onde encontrar: www.larousse.com.br


Cartaz com os nomes
O nome próprio deve ser fonte de consulta para o aprendizado das letras e recurso para a escrita de outros nomes. Uma boa prática para a sala de aula é a seguinte: escreva os nomes dos alunos em ordem alfabética e em letra maiúscula, em um cartaz, para que os alunos possam identificar o próprio nome e o dos colegas, fazendo uso constante para a construção da escrita de novas palavras. Nesse cartaz devem apenas estar escritos os nomes dos alunos e não conter fotos, para promover reflexão constante.


No primeiro mês de aula

Além da construção do cartaz com os nomes, proponha uma sequência de atividades com nomes próprios, como:
Realizar atividades de escrita do nome nos pertences das crianças e nos trabalhos propostos no dia;
Realizar escrita do nome no crachá;
Promover chamada todos os dias, pedindo para que os alunos encontrem os nomes de quem não compareceu à aula, no cartaz de nomes;
Pedir que encontrem o ajudante do dia no cartaz de nomes dos alunos.

O nome próprio torna-se a primeira escrita estável dotada de significação à criança, devido à identidade promovida ao aluno com o uso do seu nome, e à sua relevância cultural, pois faz parte da sociedade e marca seu território, sendo fonte de satisfação.
Priscila de Giovani, segundo Ferreiro e Teberosky, no livro Psicogênese da Língua Escrita (300 págs. Artmed Editora,1999)

PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | Próxima >>

News do Professor

Receba sempre em primeira mão nossas novidades e conteúdo exclusivo.